domingo, 17 de fevereiro de 2013

Referências

(Dos meus 29 anos de Magistério, só tenho motivo de orgulho: 16 deles dediquei à tarefa de lecionar e os outros 13 dignifico na função "ápice" de Inspetor Escolar. O orgulho vem das minhas referências...)

Quando amanhecer o dia de amanhã, sairei de casa para trabalhar, depois de algum tempo – a gente sempre acha que é pouco – de descanso. Na pasta, um caderno novo, e dois papeizinhos velhos...

São os da foto, aí em cima. Não os deixo, não me livro deles. São a minha referência desde 2000, quando iniciei  minha vida profissional de Inspetor Escolar.

O que está embaixo é um controle de correção de um Diário de Classe. A rubrica, no canto inferior da folha, revela uma das minhas “professoras do ofício”, Cláudia Lacerda. Quem trabalha, ou já trabalhou com ela, reconhecerá a minha verdade.

No papel de cima, a condução reta de outra professora inesquecível: Nilza Alberto. Trata-se de um rascunho (ela chamará de rascunho o que chamo de instrumento eterno de trabalho!) onde ela anotou, enquanto me explicava cuidadosa e pacientemente, o que fazer na escola. Note que o registro inicia com os dados de 1999...

Quem me conhece sabe que eu chamo carinhosamente a Inspeção Escolar de “Ápice”. Uma brincadeira gostosa, que acabou pegando entre o grupo de amigos que tenho. Mas, sinceramente, vim aqui para confessar que não digo isto brincando. Eu tenho história pra contar!

Vim de São Gonçalo, e na maioria da Rede Municipal da Região Metropolitana esta função não existe. Vim de lá, portanto, sem saber o que fazer. E tudo o que encontrei foram flores, muitas flores!

Grande parte da história de minha chegada às Secretarias de Educação eu já contei, em textos que estão soltos por aqui pelo blog. Na verdade, sendo este meu espaço um diário onde confesso a vida que levo, é comum encontrar meus registros de agradecimento a toda gente que me compõe.

Mas hoje meu objetivo é encher corações-ápices de alegria e tentar animá-los para o ano letivo que se iniciará quando amanhecer o dia de amanhã.

De posse da minha pasta e dos meus papeizinhos velhos sairei de casa. Não vou só. Vou com Nilza, com Cláudia, com Herminia, com Madalena. Vou com todas as pessoas que encontrei à porta das escolas quando cheguei para me apresentar. Vou com as Diretoras, as Secretárias. Vou com Marinez, com Albertina, com Christian, com Aninha, com Claudinéia. Vou com Clarice, com Rosinha, com Bruno. Todo mundo faz parte de mim quando digo o meu “bom dia!”. Fui evoluindo, aprendendo e, até, ensinando. Caminhando, me compus de Cleide, de Guiomar, de Marli, de Ziza, de Malu, de Vera... Conheci outros sistemas e muitas Tanias, Márcias, Ivanildes, Mercedes, Nicias, Elanes, Renatas, Shirleys, Flávias, Aldas me emendaram todas as vezes em que me rasguei.

Ouvindo experiências me tornei Marlenes, Elianes... Estendendo a mão, recebi as mãos erguidas quando mais precisei. E preenchi-me de Fernandas... Olhei em volta, acolhi, e cerquei-me de Assianys, Giseles, Annas, Tiagos, Lillians, Lucianes, Luanas...

É tudo flor, por aqui. E por tudo isto, por este jardim, agradeço a Deus.

O ano de 2013 bate à porta, abre as janelas. Os dias ensolarados nos revelam que Deus nos abençoa. As secretarias das escolas aguardam ansiosas pelo Inspetor Escolar que atuará nelas. E, construída de minhas referências, ocuparei meu espaço, ajeitando a cadeira, organizando a mesa para trabalhar. E serei a escola, numa atitude abrangente, que transcende a função de “mero vistador de papéis”, como já ouvi de uns pobres por aí...

Eu sou mais, sou muito mais do que isto. Sou Inspetor Escolar. Na amplitude do exercício, respondo pela verdade e assumo a responsabilidade pela fluidez do aluno na escola pública, com o mesmo compromisso com que garanto a segurança do menino que, por opção dos pais, estuda na escola particular. Eu sou o Sistema Municipal de Educação, e estou lá para defender o meu colega, meu parceiro Professor. E, para além disto, para ser feliz no espaço onde passo a maior parte do meu dia.

Meu trabalho me dignifica. Depois que o dia termina, volto para casa cansada – muitas vezes mais mentalmente do que fisicamente – e descanso no abraço de Antônio. Meu filho não tem de mim o tempo que a escola pública hoje tem. E é preciso que eu pense nisto diariamente, para poder fazer valer o tempo que passo ao lado do meu menino, que agora já me apresenta sete anos vividos.

Mas se a gente passa mais tempo dentro da escola do que de nossa própria casa, é obrigação fazer o que tem que ser feito da melhor maneira possível. Portanto, o abraço em Antônio tem que ser o mais gostoso, tanto quanto a minha estada na escola tem que ser cada dia mais proveitosa, mais respeitada, mais convincente.

Graças a Deus, tive minhas referências. Graças a Deus, tornei-me, sei, referência para alguns recém-chegados, também. E graças a Deus tenho humildade em aprender com aquele que recebo, tenha ele experiência na função, ou não. Porque sei que ensinei, também, quando cheguei. Isto, verdadeiramente, é ser o ápice. Que bom que sou Inspetor!

8 comentários:

  1. É por tudo isso que te admiro. Muito obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estamos juntas, Guiomar! Que Deus nos abençoe!

      Excluir
  2. Amiga Karla Pontes nós Inspetores Escolares aprendemos a serem cúmplices no nosso trabalho que é extremamente importante para a EDUCAÇÃO. Agradeço, e gostaria de lembrar que somos profissionais que enfrentamos os limites do trabalho, e os desafios que não são poucos. Que nosso ano letivo de 2013 seja um sucesso!Deus nós acompanhará!Bjs. Nícia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não tinha lido esse texto. É incrível como Deus nos oferece anjos que iluminam nossas vidas e nos indicam caminhos. Karla, essa semana , enquanto conversava com uma amiga que iniciava na equie ápice, lembrei das suas orientações que também guardo desde 2009. Como cresci e aprendi com você. se hoje sou segura na profissão agradeço ao seu carinho em compartilhar experiências. Obrigada Amiga. Que Deus abençoe toda nossa caminhada... Perfeito seu teto . traduz muito bem nossa mega equipe!

      Excluir
    2. Minha querida Gisele (que saudade!), acho que, para quem leva a Inspeção Escolar com afeto, a história é a mesma que a minha, só mudam algumas personagens... Obrigada pelo tanto que me ensinou, também!!! Bjs.

      Excluir
  3. A Carlinha só você. Respeito muito você. Parabéns pelo texto. Nós inspetores de ensino merecemos ganhar de presente no início do ano um texto tão inteligente e cheio deotimismo. Parabéns amiga. Neide Estelita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Honrada em ver que recebeu o texto como presente, querida Neide! Obrigada pela visita! :)

      Excluir