terça-feira, 19 de junho de 2012

Barro nas mãos do oleiro

(Amanhã é meu aniversário. Há quarenta e quatro anos Deus apresentou à luz um bocado de barro disforme, e iniciou Sua obra em mim...)


Ainda há muito por fazer, até que a obra esteja pronta. Mas ninguém sabe dos desígnios dEle...
Desde o ventre da minha mãe sou barro nas mãos de Deus. Hoje, às vésperas de completar meus abençoados quarenta e quatro anos, vim aqui agradecer ao Senhor pelo dom da Vida.
Rubem Alves escreveu um texto lindo (“Sobre o tempo e jabuticabas”) falando sobre essa vontade que se sente de viver quando se nos aproxima a morte. Conta que na velhice a gente se sente como uma criança que, tendo se fartado rapidamente de jabuticabas numa tigela, percebe as poucas restantes e decide saboreá-las lentamente, agora, uma por uma, já que estão chegando ao fim...
Desde que li o texto comecei a saborear as minhas jabuticabas mais devagarzinho, embora eu ache que o li, também, tarde demais.
Mas a leitura – ainda que tardia – valeu a pena, pois passo a ideia adiante, sempre que posso, para as pessoas do meu convívio. Antônio “sofre”... Tem tanto a comer, a lambuzar-se ainda e, mesmo assim, insisto que viva, viva, viva!
Eu sou tão feliz! Obrigada, Senhor! Barro meio indefinido, reconheço, meio desajeitado, mas com essência, uma essência divina, um desejo de Deus que se transforme em obra rara...
Todos os dias Deus se dispõe a moldar-me, a desfazer algo que não deu certo no dia anterior, a propor uma nova forma. E eu, entregue por completo, lanço-me às Suas mãos: “Faz, Senhor, o que quiserdes de mim.”
Minha entrega é espontânea. Estou diante dEle como aquele aglomerado de barro disforme. E vivo cada dia que recebo de presente quando o Sol atravessa as frestas da janela quebrada do meu quarto sem medo, com Ele. Confiante. Feliz.
Minha passagem por aqui é rápida, hoje.
Pretensão, uma só: dividir com meus amigos essa alegria que sinto todas as vezes que a data de vinte de junho se aproxima. Todas as vezes em que olho pro espelho e percebo uma ruga a mais no rosto, uns cabelos brancos a mais... Meu corpo dá sinais de que vivo e, se viver é uma bênção de Deus, meu corpo dá sinais de que Deus está comigo, oferecendo mais uma oportunidade de eu melhorar, melhorar, melhorar, até chegar o dia de estar com Ele, definitivamente.
Eis a partilha: esse barro envelhece à disposição das mãos divinas, as mesmas que o trouxeram à luz. Convive com vocês, amigos do blog, do facebook, do trabalho, de casa, esperando a hora de ficar pronto e ir-se de uma vez. Por enquanto não penso muito nisso, porque querer mesmo eu queria viver enquanto Antônio viver... Mas estarei inclinada a deixar este mundo assim que o Senhor meu Deus sussurrar em meus ouvidos: “vaso pronto, vem comigo”...
Amanhã vou acordar e agradecer, como de costume. Não sei por quanto tempo farei isto, não sei quantas jabuticabas me restam, mas agradecerei. Amanhã tenho jabuticabas extremamente doces para saborear, pois passarei meu dia em companhia dos meus pais e do meu filho. Verdadeira família: pais e filhos. Eu filha, eu mãe... Total comunhão com Deus.
Que me resta dizer, senão, “obrigada, Senhor”?

8 comentários:

  1. Karla, você não é obra do acaso, mas fruto da produção criadora de Deus. Quando nos colocamos na mão do Oleiro, Ele não nos joga fora, mas nos aperfeiçoa.
    O barro nas mãos do Oleiro pode se tornar um objeto de grande beleza e utilidade.
    O sucesso da obra depende de como o barro se deixa moldar pelo Oleiro.

    FELIZ ANIVERSÁRIO!
    Bj! ANA CLÁUDIA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente não sou obra do acaso, Ana Cláudia! Seria heresia de minha parte pensar assim... Espero não ter causado esta impressão em vc.
      Ao contrário, estou entregue ao Oleiro, completamente entregue...
      Obrigada pela presença!
      Bjs.

      Excluir
    2. Boa tarde! Você não causou nenhuma impressão negativa, pelo contrário, eu quis dizer que era plano de DEUS você vir ao mundo.
      Você é uma pessoa autêntica e feliz. Adoro seus textos justamente por isso.
      Bjs!

      Ana

      Excluir
  2. Gratidão e entrega! Eis duas ações de quem se deixa formar por Deus.
    Depois de ler esse texto, passo enfim para registrar, por escrito a parabenização pelo seu aniversário. Dia 20 de junho foi um dia corrido, muito corrido p/ mim. Entre arriscar um tempo na internet e fazer-se presente, preferi garantir o abraço, o sorriso, a visita... mesmo que sem tanto tempo para partilhas. Então barro, siga assim feliz, curtindo cada oportunidade, saboreando as jabuticabas... Enquanto isso peço a Deus que cuide de ti, que a conserve íntegra nas intenções e que a ilumine nas ações. Que Ele lhe dê um coração cada vez mais próximo dEle! Capaz de transmitir com a vida um amor que contagia. Que o lugar do teu refúgio nos dias de luta mais intensos sejam no colo de N. Senhora. Sei que bem a conhece, e por isso, digo isto. Se a MÃE passa na frente o PAI nada lhe nega, não é? Rsrs - Feliz idade p/ vc , minha amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu recebo, de coração aberto, tudo o que Deus puder me conceder, diante de teus pedidos... Obrigada, minha amiga!

      Excluir
  3. Muito bem,amiga.Discorreu lindamente sobre a importância de nos entregarmos inteiros ao moldar D`Ele..no seu tempo e ao Seu desejo.Continue saboreando suas jabuticabas...as minhas,já as saboreio há tempos!!Ah,eu também amooo quando 15 de agosto chega,pois fico imensamente grata e feliz por mais um ano de permissão para aprender,viver,conviver com Ele,família,amigos,gente.

    ResponderExcluir
  4. Linda mensagem! Feliz aniversário!!!

    ResponderExcluir